Skip to content

Medicina nuclear

[rank_math_breadcrumb]

Medicina nuclear

A medicina nuclear usa radioisótopos para obter imagens de diagnósticos.  

As técnicas consistem em injetar no paciente um produto contendo radioisótopos.  

Este produto radioativo é absorvido por uma parte específica do corpo (por exemplo, ossos) e emite radiação ionizante.  

Quando essa radiação ionizante deixa o corpo, ela é detectada e transformada em uma imagem (por exemplo, do esqueleto).  

O corpo elimina rapidamente o produto radioativo, especialmente pela urina. Durante esse exame, o paciente é exposto a uma dose de radiação comparável à emitida durante uma TC. 

As técnicas de imagens médicas em medicina nuclear às vezes são combinadas com o exame de tomografia computadorizada. 

Três técnicas de imagens médicas são usadas: 

  • Cintilografia planar
  • Tomografia computadorizada por emissão de fóton único
  • Tomografia por emissão de pósitrons

Sendo assim, a radiação emitida pelo produto radioativo injetado é medida com um ou dois detectores. A atividade da radiação no corpo dá origem a uma imagem bidimensional. 

Tomografia computadorizada de emissão de fóton único  

A radiação emitida pelo produto radioativo injetado é medida por detectores que giram ao redor do paciente. A transformação em imagens de medições feitas em diferentes ângulos permite produzir uma imagem tridimensional da distribuição no corpo do produto radioativo. 

Tomografia por Emissão de Pósitrons  

O produto radioativo é captado principalmente por células muito “ativas”. O exame permite, portanto, visualizar as partes do corpo que exibem atividades celulares elevadas (tumores, infecções, etc.).  

Para localizar essas áreas com muita precisão, um exame TC adicional é frequentemente realizado. Desse modo, o resultado pode sair bem mais preciso!  

Um anel de detectores mede a radiação ionizante. O produto radioativo usado durante um exame emite pósitrons.  

No corpo, um pósitron é transformado para dar duas radiações ionizantes.  

Esses dois raios saem do corpo na direção oposta (formando um ângulo de 180 °). Os detectores medem os dois sinais de cada lado e calculam a origem do sinal com muita precisão.  

Isso resulta em uma imagem da distribuição no corpo do produto radioativo injetado. 

Quando é necessário usar medicina nuclear? 

Existem muitas razões para fazer um teste de imagem de medicina nuclear. Elas incluem: 

  • Detectar um tumor
  • Determinar a propagação do câncer
  • Descobrir se o tratamento do câncer está funcionando
  • Diagnosticar inflamação
  • Verificar como o coração bombeia o sangue
  • Ou verificar a estrutura ou função de tecidos ou órgãos, como o cérebro, a glândula tireoide, o fígado, o coração, os rins ou mesmo os ossos. 

O que o especialista em medicina nuclear faz? 

O especialista usa imagens médicas para diagnosticar e tratar várias patologias. Ele intervém antes, durante e após o exame. 

Portanto, antes do exame, ele questiona seu paciente para descobrir seu histórico de cirurgia, suas alergias, sua sensibilidade a medicamentos e seus sintomas.  

Sendo assim, o radiofármaco é então administrado por injeção, inalação ou ingestão. Ele se acumula no órgão ou tecido que está sendo examinado e, então, o exame pode começar. 

Durante o exame, o paciente deita-se em uma mesa especializada e permanece imóvel. Uma câmera, uma sonda ou um dispositivo PET (tomografia por emissão de pósitrons) capturam a radioatividade emitida pelo produto.  

Assim, um computador cria imagens a partir dele e o médico as analisa e interpreta. 

Desse modo, após o exame, o médico verifica se está tudo bem com o paciente e comunica o resultado a ele. 

Quais são os riscos ao consultar um especialista em medicina nuclear? 

A consulta com um especialista em medicina nuclear apresenta um risco mínimo associado à exposição a radioisótopos.  

A dose de material radioativo administrada depende do tipo de procedimento realizado e da parte do corpo a ser examinada.  

Os possíveis efeitos colaterais são sangramento, inchaço no local da injeção ou uma reação alérgica ao radiofármaco. Mas é extremamente raro de isso acontecer. 

E então, gostou de saber mais sobre o que é a medicina nuclear? 

Portanto, deixe o seu comentário abaixo! Além disso, compartilhe esse post em suas redes sociais, e aproveite para conhecer as soluções de radiologia da ICRX! 

Open chat
Atendimento Online!